6 Dicas para montar um plano de benefícios atrativo

Por Julia Campos
6 minutos de leitura

A política de benefícios de uma empresa é um dos pilares da remuneração fixa que mais impactam um candidato ainda no processo seletivo. Ao buscar os perfis ideais para o seu negócio, é preciso se destacar em meio a concorrência, e ter um plano de benefícios atrativo pode ser a chave para levar a vantagem no processo de contratação de um candidato.

Além disso, manter o plano atualizado, flexível e atento às necessidades dos colaboradores é um passo positivo no estímulo da motivação e produtividade.

Nesse artigo, você vai entender ainda mais profundamente porque o pacote de benefícios é importante para o negócio e vai ler seis dicas de como planejar esse tipo de política na sua empresa!

Entenda o por que o pacote de benefícios é importante para o negócio

Destinar uma parte do orçamento da empresa para um bom pacote de benefícios é realizar um investimento. O aporte salarial é essencial para estimular os colaboradores, validar a valorização profissional e zelar pelo bem-estar deles. Além disso, o pacote de benefícios apresenta vantagens como:

  • atração e retenção de talentos — a cesta de benefícios diferenciada é uma das responsáveis para atrair os melhores profissionais para a sua equipe e também para reter aqueles que já trabalham na empresa;
  • equipe mais saudável — com benefícios que possibilitam um melhor acompanhamento da saúde, como o oferecimento de convênios médicos, os colaboradores passam a ter uma melhor qualidade de vida, o que se reflete também no ambiente de trabalho;
  • aumento da motivação e produtividade — ao compreender que os benefícios são uma forma de valorização profissional, o colaborador se sente mais feliz e motivado, sendo assim, podendo produzir mais e fazer entregas com mais qualidade.

Veja 6 dicas para montar um plano de benefícios atrativo

Planejar o plano de benefícios atrativo é essencial para uma execução satisfatória da estratégia. A seguir, confira seis dicas que irão te ajudar a montar um pacote de incentivos ideal para sua empresa:

  1. Planeje o orçamento da empresa

O primeiro passo a ser dado é fazer um levantamento do orçamento da empresa e do quanto pode ser destinado ao plano de benefícios. Veja se é possível, além da remuneração fixa, incluir categorias de remuneração variável. 

É importante ter em mente que esse pacote de remuneração fixa deve conter itens básicos garantidos por lei e outros, como:

  • salário;
  • férias;
  • 13º salário;
  • vale-transporte;
  • vale-refeição ou alimentação;
  • FGTS, entre outros.
  1. Consulte a legislação e as recomendações do sindicato

Para formular o pacote de benefícios, é importante que se consulte a legislação vigente para entender quais categorias são obrigatórias por lei e seus devidos cálculos. No entanto, também é imprescindível que se consulte o sindicato em questão.

Essa ação é importante porque cada sindicato tem suas próprias recomendações. Portanto, como são regras específicas, é preciso realizar a consulta. 

As associações têm como praxe designar o piso dos benefícios, porém, é preciso se atentar. Se o valor indicado do vale-refeição, por exemplo, for abaixo do que a pesquisa de preços da região da empresa aponta, é preciso readequar.

  1. Pesquise com a equipe quais são as necessidades específicas

É adequado conversar com a equipe para entender quais são as necessidades específicas e como é possível adaptar o pacote de benefícios a essas características comuns identificadas.

Um exemplo é o vale-transporte. Nem sempre a maior parte da equipe necessita desse benefício, sendo mais interessante ser um pouco mais flexível e também oferecer a opção do vale-combustível para aqueles que têm veículo próprio.

Dessa forma, tanto os que precisam do vale-transporte e os que se adaptam ao vale-combustível são atendidos e se sentem mais valorizados por conseguir usufruir do benefício.

  1. Estude o pacote de benefícios da concorrência

Para oferecer benefícios competitivos no mercado de trabalho, é necessário estudar o pacote de incentivos que a concorrência oferece. 

Como a busca pelo candidato ideal está acirrada, é preciso saber o que as empresas do ramo dispõem e tentar criar um diferencial. Dessa forma, seu plano pode virar uma vantagem ainda no momento do processo seletivo. 

  1. Considere a aplicação da remuneração variável

Além da remuneração fixa, a empresa pode, ainda, oferecer a remuneração variável, que consiste em benefícios para recompensar, a curto ou longo prazo, o desempenho dos profissionais e também estimular a produtividade.

Entre os planos de Incentivo de Curto Prazo, estão os benefícios:

  • bônus;
  • gratificações;
  • comissões;
  • Programa de Participação nos Resultados (PPR);
  • Programa de Participação nos Lucros (PPL), entre outros.

Já entre os planos de Incentivo de Longo Prazo, encontramos:

  • plano de opções de compra de ação (stock options);
  • plano de ações restritas (restricted shares);
  • plano de opções fantasmas (phantom options ou share appreciation rights);
  • ações fantasmas (phantom shares), entre outros.

Ao mesclar remuneração fixa e variável, como fazemos na Pris, a política de benefícios se torna bem mais atraente e tem mais potencial na atração e retenção de talentos, além de se tornar um fator crucial na valorização profissional e, consequentemente, afeta positivamente a motivação e a produtividade dos colaboradores.

  1. Comunique a existência do plano de benefícios com clareza

Comunicar com clareza o seu plano de benefícios atrativo aos colaboradores e também aos candidatos dos processos seletivos é um fator importante para o alinhamento de expectativas.

Quando existe clareza sobre o pacote, as pessoas sabem como ele impacta no planejamento financeiro e, quando o candidato fica ciente dos termos antes mesmo de entrar na empresa, não existem surpresas, além de poder ser uma vantagem na atração de talentos, conforme já mencionamos.

Saiba mais sobre o assunto

Neste artigo, você entendeu como um plano de benefícios atrativo pode fazer grande diferença para conquistar novos talentos para a empresa e também ser um importante fator na motivação e produtividade da equipe.

Além disso, demos seis dicas para planejar e montar uma política de benefícios que esteja de acordo com a necessidade dos colaboradores e, ao mesmo tempo, seja competitiva no mercado de trabalho.

Se você quer saber mais sobre como a remuneração variável pode impactar positivamente o seu plano de benefícios, stock options! Para continuar acompanhando conteúdos sobre esse tema, nos siga nas redes sociais. Estamos no LinkedIn, Facebook, Instagram e YouTube.

Sobre o Autor
Julia Campos é analista de Marketing de Conteúdo da Pris. Cursa MBA em Gestão de Pessoas pela USP/Esalq e é bacharel em Jornalismo e Publicidade e Propaganda pela UniAcademia. Tem experiência em marketing, produção jornalística, de conteúdo e assessoria de imprensa. Atua como produtora de conteúdo de temas como Remuneração Variável.

Artigos Relacionados

Saiba o que é ILP e como ele pode ajudar sua empresa

Um Incentivo de Longo Prazo oferece uma série de benefícios que podem culminar em uma melhoria da performance das pessoas...

Stock Options: como funciona este incentivo?

Entender como funcionam os Incentivos de Longo Prazo é um passo importante para saber qual plano é mais indicado para...

Cap table: por que você deve entender sobre o assunto

Empreendedores e gestores que buscam organização e clareza de informações relacionadas a estrutura de propriedade da empresa precisam entender o...

homeenvelopephone-handset