Saiba como acontece o cancelamento de um plano de ILP

Por Julia Campos
5 minutos de leitura
plano-de-ilp

Embora os Incentivos de Longo Prazo ofereçam diversas vantagens tanto para a empresa quanto para as pessoas beneficiárias do plano, há a possibilidade do plano de ILP ser cancelado. Neste artigo, você vai conhecer detalhes de um caso de cancelamento que ganhou a atenção da mídia recentemente e entender os motivos que podem levar ao fechamento do programa.

Além disso, você vai entender quais são os efeitos dessa decisão, para empresas e pessoas participantes do plano, e o que acontece com ações e opções que já foram outorgadas. Boa leitura!

O que leva uma empresa a cancelar um plano de ILP?

Ao implantar um plano de ILP, a empresa espera que os benefícios do plano impulsionem a performance individual dos colaboradores, bem como os resultados organizacionais. No entanto, existem fatores que podem fazer com que o ILP precise ser cancelado. Entenda melhor a seguir.

Caso Nubank

Recentemente, um caso de cancelamento de ILP repercutiu na mídia e no mercado financeiro. O CEO do banco digital Nubank, David Vélez, cancelou seu plano de Stock Options.

Um pouco antes de lançar o IPO da instituição financeira, Vélez aderiu a um SOP que tinha duas metas organizacionais:

  • se o valor de mercado do banco chegasse a R$500 bilhões, o CEO receberia mais 1% do equity;
  • se o valor de mercado do banco alcançasse R$1 trilhão, Vélez receberia mais 2% do equity.

No entanto, as metas do Nubank se mostraram agressivas demais para o momento econômico. O IPO, que começou valendo R$225 bilhões, atualmente está avaliado em R$100 bilhões.

A decisão do CEO de cancelar seu SOP impacta negativamente nos resultados do 4º trimestre da organização, mas mostram que o representante do Nubank está atento ao momento de controle de custos e capital que envolve, principalmente, o mercado de tecnologia. Apesar do cancelamento do plano, Vélez ainda detém 21% do equity do banco digital.

Objetivos não alcançados

Segundo o sócio-fundador da Pris e especialista em Incentivos de Longo Prazo, Daniel Eloi, uma empresa pode cancelar o plano de ILP de uma pessoa beneficiária ou de forma mais ampla, atingindo diversos executivos ou executivas. Essa é uma decisão flexível a ser tomada de acordo com as necessidades da instituição.

As razões para o cancelamento, geralmente, giram em torno de um fator — quando o plano deixa de cumprir seus objetivos, por exemplo, a retenção estratégica de pessoas-chave ou de alinhamento com acionistas.

“Um caso muito comum é o caso de planos de opções que estão muito debaixo d'água ou de planos de performance shares que possuem metas que estão impossíveis de serem batidas”, comenta Elói.

Esse apontamento do especialista explica a decisão do CEO do Nubank, já que as metas atreladas ao plano estavam longe de serem alcançadas.

Já com relação às opções que estão debaixo d’água, significa que as ações estão cotadas em um valor abaixo do fixado do preço de exercício, estabelecido logo na adesão ao ILP. 

Ou seja, a pessoa beneficiária precisaria pagar mais pelas ações do que o preço que elas estão valendo no momento. Com isso, torna-se desinteressante exercer as opções.

Efeitos do cancelamento para pessoas beneficiárias

Elói explica que as consequências do cancelamento do plano de Incentivo de Longo Prazo para executivos e executivas deve ser analisado caso a caso. Ele aponta que se a pessoa não tem expectativa de recebimento e não recebe nada em troca, não há nenhum impacto direto, mas que uma substituição de plano pode ser feita. 

“O que normalmente ocorre é que na substituição há uma melhoria das condições do plano, reforçando a sua atratividade ao participante”, observa.

O que acontece com ações e opções que já foram outorgadas?

O sócio-fundador da Pris explica o que acontece com as ações ou opções que já foram compradas ou entregues às pessoas beneficiárias. Ele diz que do ponto de vista de capital autorizado do plano, ou de diluição autorizada, as ações ou opções retornam para o pool. Porém, o tratamento contábil depende de como a modificação se caracteriza. 

“Se for um cancelamento, a despesa prevista daquelas opções/ações é antecipada para a data do cancelamento. Se for feito um movimento de modificação do plano, ou seja, se for feita uma nova outorga substituindo a outorga vigente, há um tratamento contábil específico em que o custo e cronograma do plano ‘original’ são mantidos”, explica Elói.

O especialista em ILP conclui dizendo que é reconhecido apenas um delta incremento de valor econômico se comparado os dois planos — o original e o substituto.

Saiba mais sobre aspectos técnicos de um plano de ILP

A Pris já ajudou centenas de empresas de diferentes portes e segmentos a desenharem seus planos de Incentivo de Longo Prazo. Por isso, nossos especialistas estão capacitados para auxiliar no processo de decidir qual é o melhor plano de ILP para o seu negócio e explicar detalhes técnicos como o que foi abordado neste artigo. Entre em contato conosco e saiba como podemos te ajudar!

Sobre o Autor
Julia Campos é analista de Marketing de Conteúdo da Pris. Cursa MBA em Gestão de Pessoas pela USP/Esalq e é bacharel em Jornalismo e Publicidade e Propaganda pela UniAcademia. Tem experiência em marketing, produção jornalística, de conteúdo e assessoria de imprensa. Atua como produtora de conteúdo de temas como Remuneração Variável.

Artigos Relacionados

Saiba o que é ILP e como ele pode ajudar sua empresa

Um Incentivo de Longo Prazo oferece uma série de benefícios que podem culminar em uma melhoria da performance das pessoas...

Stock Options: como funciona este incentivo?

Entender como funcionam os Incentivos de Longo Prazo é um passo importante para saber qual plano é mais indicado para...

Cap table: por que você deve entender sobre o assunto

Empreendedores e gestores que buscam organização e clareza de informações relacionadas a estrutura de propriedade da empresa precisam entender o...

homeenvelopephone-handset