Veja dicas para comunicar o ILP para beneficiários e acionistas

Por Julia Campos
6 minutos de leitura
veja-dicas-para-comunicar-o-ILP-para-beneficiarios

“Conheça as melhores práticas para gestão de ILP” foi o tema em debate na edição do Papo Pris de maio de 2024. Neste episódio, os especialistas convidados falaram, principalmente sobre como, o que e quando comunicar o ILP para pessoas beneficiárias.

Portanto, neste artigo, você verá um resumo sobre o que foi discutido sob este recorte. Ao prosseguir com a leitura, além de entender mais sobre o tema, você verá dicas objetivas para comunicar o ILP de forma mais eficaz.

Como e o que comunicar sobre o ILP?

Os apresentadores do Papo Pris, Leandro Rangel e Júlia Kerr, receberam convidados especialistas em Incentivos de Longo Prazo. Contribuíram com a conversa:

  • Vitor Mourão, Gerente Corporativo de Remuneração;
  • Danilo Ferraz, Especialista em ILP e Diretor de Experiência do Cliente da Pris.

O primeiro assunto tratado no webinar foi a comunicação do ILP para pessoas beneficiárias. Sendo assim, o que, como e quando comunicar o ILP. A seguir, você verá quais são as considerações dos especialistas convidados sobre o tema.

Transparência e objetividade

Mourão destaca que é essencial ser sempre muito claro e muito transparente para falar sobre ILP. Isso porque, são diferentes públicos que devem ser incluídos dentro de uma mesma orientação.

Segundo o especialista, em seu dia a dia, há muito foco na transparência e objetividade. Ao notar que a comunicação aborda muitos pontos, mas não explica com eficácia, há a necessidade de descartar para comunicar de forma simples, direta e com informações claras. 

Heterogeneidade do público-alvo

Ferraz destaca outro ponto, a heterogeneidade do público-alvo no momento de comunicar o ILP. "Como o Vitor falou bem, é um público heterogêneo, geralmente começa com um público executivo, mas à medida que vai passando o tempo, você vai expandindo e tendo uma diversidade de público".

O especialista aponta que, no Brasil, atualmente, a população adulta, de 15 a 64 anos, chega a 40 milhões de pessoas. Desse número, cerca de 17 milhões de CPFs possuem cadastro na bolsa de valores brasileira. 

Portanto, ao levar esta noção para a rotina da empresa, quando se fala de ILP, é muito possível que a maior parcela das pessoas beneficiárias esteja tendo o primeiro contato com este instrumento. 

"O que fui aprendendo com o passar do tempo é que antes da gente falar do ILP, a gente tem que pensar muito bem no nosso público, como o Victor disse. Eu acho que temos o dever de casa de pensar como que a gente mostra todas as vantagens do que é ser sócio de uma empresa, ou, no limite, ser um acionista. Mas, também, todo o risco que está associado", pondera o Diretor de Experiência do Cliente da Pris.

Necessidade de padronização de termos 

As explicações que tangenciam o conceito de ILP são repletas de termos que podem soar desconhecidos a muitas pessoas. 

Tendo isso em vista, Mourão diz que os termos já trabalhados pela comunicação devem ser padronizados. "O que as pessoas reconhecem, a gente tenta manter para que reconheçam ao longo do próximo processo".

Ele explica que a empresa busca fixar determinados termos em diversas plataformas e materiais para que as pessoas beneficiárias não se confundam. Ainda, destaca que as mudanças constantes de nomenclatura são evitadas para que o objetivo anterior seja alcançado.

Quando é ideal comunicar o ILP?

Na visão de Ferraz, ao pensar em uma empresa que não tem ILP e vai criar um plano, é ideal que a comunicação comece assim que possível. Isso pode ocorrer quando a estratégia for aprovada pelo conselho.

"Você começa a comunicar a empresa e introduzir o conceito à medida que já tem um horizonte de que vai criar o programa e que o programa está com seus 80% pronto, acho que é um ponto super relevante", afirma.

Outro ponto abordado pelo especialista é a necessidade de que essa comunicação seja constante. Já que os programas são de longo prazo e podem perdurar por anos. Logo, é necessário relembrar conceitos e regras de tempos em tempos.

Outros momentos oportunos para comunicar o ILP aos beneficiários citados por Danilo são:

Para Mourão, o grande X da questão é perceber a periodicidade de comunicação. Visto que a pessoa beneficiária precisa estar ciente de quais são as chances de receber o incentivo, o valor que pode receber e, claro, as vantagens de participar de um programa de ILP.

O Gerente Corporativo de Remuneração ainda menciona a necessidade de uma explicação prévia de como funciona o ILP já na carta proposta, no caso de pessoas colaboradoras novas. 

Além disso, ele destaca que a equipe de remuneração deve estar presente para a explicação do incentivo no momento do recrutamento.

Ferraz complementa que acha ideal que, após o onboarding, a pessoa colaboradora em questão passe por um momento específico para ter uma conversa com informações mais robustas sobre o plano.

Quais são as dicas para comunicar o ILP para pessoas beneficiárias?

De forma objetiva, os especialistas dão dicas para comunicar o ILP para pessoas beneficiárias de forma eficaz. São elas:

  • conheça seu público — saiba qual é o nível de complexidade de informação que as pessoas conseguem absorver;
  • se coloque no lugar desse público — nem todos conhecem o processo e provavelmente não acompanharam todas as discussões no desenho e implantação do plano;
  • envolva áreas como Comunicação e RH para traçar o plano de comunicação do incentivo.

Saiba mais sobre o assunto!

Ao finalizar esta leitura, você pôde ver importantes dicas dadas pelos especialistas convidados para a última edição do Papo Pris para comunicar o ILP

Portanto, conclui-se que prezar pela transparência e simplicidade das informações, levar em conta a diversidade de nível de conhecimento do público e a padronização de termos são elementos-chave para o sucesso da comunicação do incentivo.

A Pris é especialista em Incentivos de Longo Prazo e pode ajudar sua companhia em todas as etapas de gestão da estratégia. Inclusive, facilitando o processo de comunicar o ILP. Entre em contato conosco para conhecer nossos produtos e serviços. E não se esqueça — este episódio do Papo Pris já está disponível e pode ser visto gratuitamente!

Sobre o Autor
Julia Campos é analista de Marketing de Conteúdo da Pris. Cursa MBA em Gestão de Pessoas pela USP/Esalq e é bacharel em Jornalismo e Publicidade e Propaganda pela UniAcademia. Tem experiência em marketing, produção jornalística, de conteúdo e assessoria de imprensa. Atua como produtora de conteúdo de temas como Remuneração Variável.

Artigos Relacionados

O que é remuneração: Entendendo a Remuneração Variável

A remuneração é um tema central no ambiente corporativo, que influencia diretamente a motivação e o desempenho dos colaboradores. A...

Remuneração executiva: estruturação e impactos no desempenho organizacional

A remuneração executiva é um tema complexo e crucial para o sucesso das organizações. Isso porque, a forma como os...

Veja como um ILP pode ser usado como ferramenta para retenção de talentos

A retenção de talentos é acompanhada de perto pelo setor de RH, pois é um fator extremamente importante para a...

homeenvelopephone-handset