Aqui você encontra todas as nossas publicações


Como calcular Stock Options?

O plano de Stock Options é um instrumento que permite que os colaboradores do plano tenham o direto de exercerem suas ações, com o preço fixado na outorga (preço de exercício), passado um determinado tempo de carência, conforme tratado no artigo “O que são Stock Options?”.

Antes de 1995, não era necessário contabilizar as despesas com remuneração de opção, o que gerava uma distorção nos resultados das empresas. No ano de 1995 foi institucionalizada a norma que determinava o cálculo das despesas a partir do valor intrínseco da opção. Estimar o valor da ação antes desta ser exercida, é uma tarefa bastante complicada e isto conduziu, a partir do ano de 2004, a utilização do valor justo (fair value) para calcular as despesas com a remuneração por opções.

Existem 3 maneiras principais de calcular o fair value: O método Binomial, Black & Scholes e Simulação de Monte Carlo. No primeiro método, é utilizada uma fórmula fechada para a obtenção do valor justo, o que traz certas limitações, como a fixação da volatilidade com o tempo e consideração do exercício das opções apenas na sua data de expiração (não considera o exercício antecipado). No método Binomial, são criados diversos cenários contendo diferentes preços da ação. Cada preço funciona como uma ramificação da árvore originária de um tronco comum e a partir destas ramificações, novos cenários poderão ser criados. Várias premissas podem então serem aplicadas, como a volatilidade das ações e o exercício antecipado das ações (antes da expiração). O último método é o mais complexo e, assim como o método Binomial, simula diversos cenários, porém não é limitado ao número de suposições que podem ser incorporadas na simulação. Ele é utilizado quando existem condições de vesting de mercado muito complexas, que não conseguem ser incorporados pelos outros tipos de métodos. Como consequência, o resultado da simulação é mais preciso, mas também é mais custoso e demorado.

A IFRS (International Financial Reporting Standards), que é um modelo de normas contábeis que as empresas devem seguir a fim de atender às normas internacionais, exige que uma entidade reconheça as transações de pagamento baseadas em ações em suas demonstrações financeiras. Particularmente o IFRS propõe que a entidade reflita em seus lucros e perdas e posição financeira os efeitos de transações de pagamento baseados em ações da seguinte forma:

  • Apresentar a natureza, extensão e a situação dos contratos vigentes no período de divulgação;
  • Apresentar o racional utilizado para determinação do valor justo das opções/ações;
  • Divulgar o impacto dos contratos no resultado e posição patrimonial do período.

 

Sobre o Autor

Laura Vianna é analista de negócios da Pris. É graduada em Engenharia de Produção pela UFMG e atualmente é mestranda em Administração na linha de Marketing, Estratégia e Inovação também na UFMG. Trabalha com Incentivos de Longo Prazo desde 2017, especialmente no suporte e desenvolvimento do Options Report, primeiro software de Gestão de ILP da América Latina.



Gostaria de um tema específico?

Gosta de escrever?