Aqui você encontra todas as nossas publicações


Estruturação do processo de Testes Manuais com o Azure DevOps

Estruturação do processo de Testes Manuais com o Azure DevOps

A Pris tem como propósito simplificar processos de negócios, facilitando o dia-a-dia de empresas e colaboradores em nossas áreas de atuação. Para realizar esse objetivo desenvolvemos diversas soluções, desde consultorias e treinamentos, até sistemas e softwares inovadores, como o Pris Options Report e o Pris IP Manager.

Como empresa de software, contamos com uma equipe robusta de desenvolvedores e desenvolvedoras especializados, e queremos mostrar um pouco de nosso trabalho diário e nossas estratégias e soluções técnicas.

Uma de nossas iniciativas se trata do desenvolvimento de uma completa área de Quality Assurance (QA), contando com o apoio da consultoria especializada da Base2.

Processo de testes

Como primeira ação prática deste trabalho, começamos a implementar melhorias no processo de Testes Manuais, utilizando a funcionalidade Test Plans do Azure DevOps.

Na Pris já utilizamos o Azure DevOps para gerenciar todo o processo de desenvolvimento – repositório de código, Scrum, pipelines de build / release. Assim, a utilização do Azure DevOps Test Plans foi um encaixe natural e permite integrar facilmente com as outras etapas do processo.

O Test Plans do Azure DevOps é uma funcionalidade muito completa, e vale a pena para todo profissional conhecê-la um pouco. Internamente desenvolvemos um treinamento para nossa equipe, e criamos um breve tutorial.

1) Organização de Casos de Teste (Test Cases)

Organização
Testes

2) Execução de Test Cases

Runner

3) Falhas nos testes: Criação de Bugs

Criação de bugs

Outras questões interessantes

Além da funcionalidade em si, a melhoria envolve também mudanças no processo de desenvolvimento, ao longo da Sprint. São dois pontos principais:

  • Os casos de teste devem ser definidos no início da sprint, para guiarem o desenvolvimento e serem cadastrados na ferramenta.
  • Os desenvolvedores devem liberar as alterações com antecedência, 2 a 3 dias antes do fim da Sprint, para que haja tempo hábil de executar todos os testes e tratar bugs encontrados.
Questões interessantes

Este último ponto deve impactar também no planejamento da Sprint: para que as alterações sejam disponibilizadas mais cedo, possivelmente será necessário reduzir o volume de trabalho incluído em cada Sprint. Em resumo, a ideia é fazer menos, mas com mais qualidade.

Resultados Esperados

Diante disso, dois resultados principais com esta estruturação do processo de Testes Manuais são bastante esperados em virtude de seu impacto positivo:

  • Aumento da Qualidade: redução da quantidade de bugs que chegam para o usuário final
  • Maior eficiência nos testes: testes realizados com menos tempo, e mais completos

Isto deve ser atingido devido as várias melhorias que a estruturação gera no processo, como mostra a comparação abaixo do antes e depois.

Antes X Depois

Quer trocar experiências sobre Testes Manuais ou conhecer mais sobre o nosso processo? Entre em contato com a gente!

Nós adoramos compartilhar conhecimento

Acompanhe nossas publicações: Cadastre-se aqui!

Sobre o Autor

Henrique Rocha é Engenheiro de Software da Pris. Mestre e graduado em Engenharia de Produção pela UFMG, é um apaixonado por tecnologia, atuando diretamente com desenvolvimento, arquitetura e DevOps/metodologias ágeis. Foi corresponsável pela modelagem do Options Report em 2014 e, desde então foi responsável pelo sistema, trabalhando como Product Owner, DevOps e, finalmente, como Tech Lead da solução e da empresa.



Gostaria de um tema específico?

Gosta de escrever?