Aqui você encontra todas as nossas publicações


Série Tipos de PI – Marca

Escrevi mais um texto explicando os modelos de registro de propriedade intelectual, seguindo a proposta de apresentar os principais tipos de PI e diferencia-los. Dessa vez a ideia é falar um pouco sobre marca, que é, basicamente, o sinal que identifica, graficamente, um produto ou serviço qualquer.

É o símbolo que diferencia uma companhia de seus competidores, podendo ser um logo, um slogan, ou até mesmo uma forma. A ideia de uma marca é remeter ao consumidor uma conexão direta entre um elemento sensorial e a empresa.

O principal objetivo do registro de marcas é proteger os consumidores de falsificações, cópias, garantindo a procedência do produto e a relação entre produtor e consumidor. Por isso, ao contrário das patentes, por exemplo, que têm duração de 20 anos, o registro de uma marca pode ser renovado infinitamente, desde que a empresa continue existindo, produzindo e fazendo os pagamentos necessários à proteção.

Registro de Marca

O registro de uma marca proporciona à empresa uma série de vantagens, como maior garantia contra falsificadores, além de proteger a imagem que diferencia sua empresa das demais. O registro facilita ainda o processo de licenciamento da marca para terceiros, que poderão produzir em seu nome gerando lucro e expansão dos negócios. Isso porque ao registrar uma marca a empresa passa a ter poder para controlar seu uso, reprodução, integridade e reputação.

Tal como nos demais processos de registro, é o Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI) que cuida dos processos, sob os comandos da Lei de Propriedade Intelectual brasileira. De acordo com o próprio órgão, há marcas registradas que valem, atualmente, mais de 50 bilhões de dólares. Isso porque carregam consigo uma “reputação, imagem e conjunto de qualidades”[1] às quais os consumidores respondem positivamente, colocando tais empresas em situação privilegiada no mercado. O processo de registro, apesar de detalhado, não é complexo e costuma demorar poucos anos.

No Brasil, o registro de uma marca tem validade de 10 anos e pode ser prorrogado (sempre por períodos de 10 anos) indefinidamente.

Só em 2016 foram mais de 160 mil registros de marcas no INPI. E sua empresa? Tem uma marca forte e distinta? Talvez valha a pena registrá-la para aproveitar de todas as vantagens que essa proteção poderá garantir à sua empresa.

 

[1] JUNGMANN, Diana. Inovação e propriedade intelectual. Brasília: SENAI, 2010.

Sobre o Autor

Júlia Couto é analista de negócios da Pris. Mestre em Engenharia de Produção pela UFMG e especialista em Propriedade Intelectual pela LUISS Business School, trabalha com gestão estratégica e valoração de ativos de propriedade intelectual desde 2014. Vem participando da modelagem de negócio do Pris IP Suite, conjunto de ferramentas de gestão estratégica-operacional de ativos de PI desenvolvido pela Pris com o apoio da Fapemig.



Gostaria de um tema específico?

Gosta de escrever?