Aqui você encontra todas as nossas publicações


CYBERSQUATTING e TYPOSQUATTING – Pirataria no meio digital

Alguma vez você tentou acessar um site e, seja por algum erro de digitação ou porque esse domínio não pertencia à empresa que você imaginava, você acabou entrando na página errada? Se a resposta foi “sim”, você pode ter sido mais uma vítima de Cybersquatting ou Typosquatting.

Situações desse tipo são muito comuns e podem enganar o consumidor (inclusive com roubo de senhas), prejudicando a imagem de sua marca. A seguir, explico mais um pouco sobre cada uma dessas estratégias de golpe.

O QUE É CYBERSQUATTING?

Cybersquatting é a prática de comprar um domínio com um nome comercialmente valioso, normalmente de uma marca muito conhecida no mercado, com o intuito de vendê-lo ao titular da marca ou de enganar os consumidores que tentarem acessar tal endereço.

Imagine se a Microsoft não fosse dona do domínio microsoft .com. Uma pessoa poderia se aproveitar do renome da marca e registrar esse domínio para si, seja para revendê-lo à empresa ou para enganar os consumidores que tentem entrar no site. Esse é o Cybersquatting.

Quando a empresa tem renome internacional, isso pode ocorrer em cada uma das extensões de domínio. Nesse caso, estamos falando de domínios como microsoft.net , microsoft. com.br , microsoft.dk , e outros tantos domínios.

E O TYPOSQUATTING?

O typosquatting é uma prática ainda mais perigosa. Ao invés de uma pessoa registrar o domínio idêntico à marca de uma empresa, ela faz registros de domínios com erros de digitação, algo que é muito comum quando se tenta acessar um site.

Por exemplo, o banco Citibank é titular do domínio citibank .com.br. Uma pessoa com más intenções pode registrar o endereço citybank .com.br (trocando o i por y), fazendo com que alguns clientes do banco entrem no site errado devido a um simples erro de digitação.

O typoquatting é muito utilizado para Pishing, uma maneira de roubar informações pessoais, como CPF e cartão de crédito. Especialmente no início da digitalização dos bancos, essa era uma prática muito comum, em que pessoas compravam domínios similares aos deles e criavam páginas espelhadas, fazendo com que o cliente digitasse seus dados pessoais.

COMO O TYPOSQUATTING E CYBERSQUATTING AFETAM MINHA MARCA?

A marca é o símbolo que conecta sua empresa ao consumidor, criando um vínculo emocional entre eles. Ela é um instrumento que pode trazer o sentimento de confiança, qualidade e respeito para seu negócio.

Porém, como qualquer relação emocional, o vínculo pode ser quebrado com muita facilidade. Imagine que seu cliente tente entrar no site de sua empresa, mas acabe caindo em algum site fraudulento e seus dados sejam roubados. É muito provável que você perca um cliente, visto que a ligação de confiança foi quebrada, mesmo que não intencionalmente.

O Cybersquatting e Typosquatting podem impactar negativamente seu negócio, prejudicando a imagem de sua marca.

COMO PROTEGER MINHA EMPRESA DE TAIS FRAUDES?

  1. Tenha o registro de suas marcas

Qualquer pessoa pode registrar um domínio, caso ele esteja disponível. Contudo, uma pessoa/empresa que tenha uma marca registrada possui o direito sobre um domínio similar à sua marca registrada. Por exemplo, se você possui o registro da marca “Meu Produto”, é possível conseguir a titularidade do domínio meuproduto .com.br. Como esse não é um processo muito simples, então entraremos em detalhes em outro post.

  1. Registre seus domínios

Para ter direito sobre um domínio, o primeiro requisito é ser o titular do mesmo. O registro de domínios é feito de forma 100% online, de forma rápida e barata. É possível completar todo o processo em poucos minutos e já ter a titularidade no mesmo dia.

  1. Registre diversas variações de seus domínios, inclusive com extensões diferentes

Melhor do que entrar em disputas de domínios com terceiros é já se precaver e estar um passo à frente das pessoas de má fé. Quando fizer o registro dos domínios principais de sua empresa, já aproveite e registre variações dos mesmos, pensando em erros de tipografia, extensões diferentes, etc. A prevenção é uma arma forte para evitar problemas no futuro.

  1. Monitore seus domínios

Uma boa prática é fazer o monitoramento de todos os seus domínios e de variações do mesmo. Existem empresas que prestam esse tipo de serviço e facilitam sua vida. Você receberá relatórios de domínios antigos e novos que possam impactar seu negócio, além de contar a ajuda de especialistas para os casos de disputa.

Temos um case muito legal com uma empresa de tecnologia que possui um portfólio bem grande de domínios. Com a ajuda da Pris, foram criadas estratégias para defender os domínios que já possuíam e para recuperar sites que foram vítimas de pirataria.

Após esse trabalho em conjunto, o nível de segurança da empresa aumentou bastante e agora fazemos o monitoramento contínuo de todos os domínios mais relevantes para ela, inclusive levando em conta práticas de Cybersquatting e Typosquatting que possam ser adotadas por pessoas mal intencionadas.

Ficou com alguma dúvida sobre o assunto ou quer saber mais sobre as soluções da Pris contra a pirataria digital? Entre em contato conosco!

 

Sobre o Autor

Júlia Couto é analista de negócios da Pris. Mestre em Engenharia de Produção pela UFMG e especialista em Propriedade Intelectual pela LUISS Business School, trabalha com gestão estratégica e valoração de ativos de propriedade intelectual desde 2014. Vem participando da modelagem de negócio do Pris IP Suite, conjunto de ferramentas de gestão estratégica-operacional de ativos de PI desenvolvido pela Pris com o apoio da Fapemig.



Gostaria de um tema específico?

Gosta de escrever?