Aqui você encontra todas as nossas publicações


3 momentos em que sua organização deve ficar atenta ao monitoramento de patentes – Parte 1

O monitoramento de patentes é uma importante ferramenta para de ajudar a determinar as melhores direções para os seus investimentos em P&D. Ao realizar a busca e o monitoramento das patentes protegidas em determinado campo, você conseguirá mapear quais as invenções já são protegidas (ou estão sendo analisadas pelos escritórios nacionais de PI), tendo um bom indicativo sobre quais podem ou não ser patenteadas. Assim, será possível aumentar as chances da sua organização não investir em tecnologias que não terá futuramente o direito legal para usar ou vender. Além disso, será mais fácil analisar, dentre os projetos internos já em desenvolvimento, quais deverão ou não ser priorizados.  

Por exemplo, se você fez uma pesquisa e ela mostrou que determinado campo já possui muitas patentes e que o espaço para novas invenções é muito pequeno, pode ser mais indicado seguir por um outro caminho. Se, por outro lado, você observou que determinada área tem pouca cobertura de patentes, sua organização pode ter uma atitude mais agressiva e investir fortemente nesta área, apresentando vários pedidos de patente para bloquear a entrada de concorrentes nesse mercado. Porém, é importante ficar atento a tecnologias que ainda não estão disponíveis para a busca, já que existe um período de 18 meses entre o depósito do pedido e a divulgação ao público da tecnologia (período de sigilo). Por isso a importância de não se fazer apenas a busca em um primeiro momento, mas sim um monitoramento contínuo da área em que se pretende investir.

Sua companhia poderá ainda aproveitar o conhecimento disponível nos bancos de patentes para melhorar processos internos e enriquecer seu P&D. Ao invés de “reinventar a roda”, sua organização, por meio do monitoramento de patentes, pode absorver o conhecimento disponível e dar um passo inventivo à frente, economizando tempo e dinheiro em P&D.

Apesar de todos esses benefícios, sabemos que grande parte das organizações não investem nesse tipo de monitoramento. Um estudo feito na Alemanha concluiu que os custos de P&D poderiam ser reduzidos em 30% caso as informações técnicas disponíveis fossem utilizadas¹. Outro estudo, realizado pela Organização Britânica de Patentes, estimou que 20 bilhões de libras são desperdiçados por ano, apenas na Comunidade Europeia, devido a invenções duplicadas¹.

Nas próximas publicações falaremos sobre a importância e os objetivos do Monitoramento de Patentes durante a fase de P&D. Fique de olho!

¹ http://www.wipo.int/edocs/mdocs/sme/en/wipo_wasme_ipr_ge_03/wipo_wasme_ipr_ge_03_5-main1.pdf

Sobre o Autor

Júlia Couto é analista de negócios da Pris. Mestre em Engenharia de Produção pela UFMG e especialista em Propriedade Intelectual pela LUISS Business School, trabalha com gestão estratégica e valoração de ativos de propriedade intelectual desde 2014. Vem participando da modelagem de negócio do Pris IP Suite, conjunto de ferramentas de gestão estratégica-operacional de ativos de PI desenvolvido pela Pris com o apoio da Fapemig.



Gostaria de um tema específico?

Gosta de escrever?